Esta semana foi notícia a decisão da Tor e da Forge, importantes editoras norte-americanas de títulos de ficção científica e de fantasia, de abandonarem o DRM nos ebooks a publicar a partir do mês de julho.

O DRM é o sistema anticópia mais utilizado pelos editores de conteúdos digitais e tem conhecido, nos últimos tempos, uma forte oposição, tanto por parte dos leitores, como, mais recentemente, por parte dos próprios autores. Criado como forma de combater a pirataria, o DRM falha absolutamente no seu principal objetivo e prejudica apenas os pagantes de conteúdos, criando obstáculos ao usufruto dos mesmos.

A decisão da Tor/Forge, não sendo inédita (são já muitas as pequenas editoras, mesmo em Portugal, que comercializam os seus ebooks sem DRM), tem o peso de ser a primeira grande editora a romper com o padrão atual de proteção dos direitos de autor, pelo que não será de estranhar que muitas lhe sigam o exemplo.

Talvez o Dia Internacional contra o DRM, que se comemora no final da próxima semana, esteja em vias de perder o seu significado.

About these ads