100 mil ebooks por assinatura para iPhone

Deixe o seu comentário


oysterA Oyster acaba de lançar uma aplicação para iPhone que oferece acesso a um catálogo de 100 mil ebooks mediante o pagamento de uma assinatura mensal de 9, 90 dólares. Novos títulos serão adicionados regularmente.

Sediado em Nova Iorque, o serviço oferece títulos das editoras HarperCollins, Houghton Mifflin Harcout, Workman e  Smashwords.

O seu modo de funcionamento é bastante simples: basta pesquisar o ebook, selecioná-lo e abri-lo. Como é habitual em serviços de leitura na nuvem, permite a partilha de excertos ou comentários nas redes sociais.

Por enquanto, a aplicação apenas está disponível para iPhone (prever-se para breve uma versão para iPad).

 

Wook lança aplicação de leitura na nuvem

2 Comentários


Boas notícias para o mercado de ebooks nacional: a Wook, a maior livraria online portuguesa, apresentou hoje um aplicação que permite a leitura de ebooks independentemente do dispositivo e do sistema operativo. Designado eWook, o sistema assenta «na utilização de um browser (programa de acesso à Internet) e permite a leitura do livro em off-line (…), apresentando características de usabilidade como a marcação de páginas, o registo de anotações, a leitura nocturna e o aumento do corpo e a alteração da fonte do texto». Os ebooks adquiridos são personalizados com nome do cliente, a fim de limitar a pirataria, são armazenados na nuvem e permitem a sincronização de leitura entre diferentes diapositivos. É também possível o empréstimo por um período de 15 dias.

O objetivo principal desta estratégia é  impulsionar o mercado do ebooks em Portugal e facilitar a entrada de todas as editoras nacionais neste mercado, encontrando-se envolvidos, nesta primeira fase, os universos editoriais do Grupo Porto Editora e Bertrand Círculo, LeYa, assim como as editoras Presença, Gradiva, Centro Atlântico, Lidel/FCA, Principia e Planeta.

Fica o vídeo de apresentação:

 

A reportagem da RTP sobre a novidade da wook pode ser vista aqui.

Via Diário Digital

Em 2016, 36% do conteúdo digital estará na nuvem

Deixe o seu comentário


De acordo com o jornal El País de hoje, em 2106, 36% do conteúdo digital estará disponível na nuvem, em serviços como a Dropbox, Skydrive ou iCloud.  Segundo a Gartner, atualmente apenas 7% de todos os conteúdos digitais pessoais estão armazenados remotamente, mas esta será uma tendência que se reforçará nos próximos anos, obrigando a capacidade de armazenamento a passar dos 329 exabytes de 2011  para 4,1 zetabytes em 2016.

Muito provavelmente, os ebooks e a leitura seguirão um caminho similar, com a disponibilização de novos serviços semelhantes àquele que já hoje é oferecido pela 24 Symbols.

24symbols para iPad

Deixe o seu comentário


A plataforma de leitura na nuvem 24symbols acaba de disponibilizar uma aplicação para iPad, que pode desde ontem ser descarregada gratuitamente no iTunes. 24symbols é um serviço de leitura social baseado na nuvem e que funciona mediante subscrição.

24symbols – leitura na nuvem em versão freemium

1 Comentário


O serviço de leitura na nuvem (cloud reading ou leitura em streaming) 24symbols acaba de lançar uma versão web  (beta), antecedendo o lançamento oficial do serviço a 30 de Junho, com a disponibilização de aplicações para dispositivos móveis.  Os serviços de cloud reading, de que pouco a pouco começam a aparecer no mercado diferentes propostas, oferecem um serviço de leitura preferencialmente online (por vezes com opção de compra), quase sempre aliado a uma componente social (partilha de notas e comentários, construção de comunidades de leitura, etc.), e mediante uma subscrição.

No caso do 24symbols, estão disponíveis duas modalidades: a subscrição mensal (a partir de 9,99 euros por mês) e uma modalidade freemium, gratuita e financiada por pequenos anúncios publicitários. Na versão web agora lançada (versão beta), apenas o serviço freemium se encontra disponível, mediante convite (que pode ser obtido através da página de Facebook  do 24symbols).

O modo de funcionamento do serviço é muito simples: depois do registo, temos acesso à página inicial com os livros mais recentes e um menu com a área pessoal do lado esquerdo. Podemos pesquisar os livros (por autor, título, categoria), partilhar no Twitter e Facebook, organizar os livros por pastas e obter recomendações de leitura. O dispositivo de leitura propriamente dito não é muito funcional (na passagem de página, por exemplo, repete a última linha), mas tendo em conta que se trata de uma versão beta, poderá ser um aspecto a melhorar. O livro carrega rapidamente, podemos sublinhar passagens, partilhá-las no Twitter e Facebook, aumentar e diminuir o tamanho do texto e e adicionar marcadores. Os anúncios publicitários, como se pode ver na imagem acima, são bastante discretos.

Em conclusão, um serviço com inúmeras potencialidades e que proporciona uma agradável experiência de leitura, mas que poderá ter muito a ganhar com a sua disponibilização para dispositivos móveis. Vamos aguardar pelo final do mês de Junho.

Readum – uma nova ferramenta de leitura social

Deixe o seu comentário


A empresa ReadSocial lançou recentemente a Readum, uma extensão para browsers Firefox e Chrome que permite sublinhar e anotar qualquer ebook da Google Books, e partilhar essas notas e comentários no Facebook. O modo de funcionamento da ferramenta é demonstrado no vídeo abaixo:

A Readum apresenta inúmeras potencialidades, ao ligar a maior rede social online à imensa biblioteca Google books, expandindo uma experiência como a do Copia e fornecendo argumentos aos adeptos da cloud reading.

Leitura na nuvem com opção de compra

2 Comentários


O mercado de ebooks espanhol tem sido fértil em iniciativas que denotam uma maior atenção ao que se passa do outro lado do Atlântico do que a generalidade dos países da Europa.  Um dos exemplos mais recentes é o da Amphibia, uma editora espanhola fundada há quatro meses que, além de vender ebooks, oferece a possibilidade de «cloud reading» (literalmente, leitura na nuvem): leitura online sem necessidade de download do ebook, que funciona como uma espécie de empréstimo pago. Pagando cerca de metade do valor do ebook, o utilizador tem acesso à leitura o livro a partir de qualquer dispositivo e local, e por um período de quatro meses. Se findos esses 120  dias, o utilizador decidir ficar com o ebook, paga os restantes 50% e faz o respectivo download; caso contrário, «devolve» o livro à editora.

Via adn.es

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 2.146 outros seguidores