Esta foi uma das principais conclusões a que chegou um estudo da Research Unit Media Convergence da Universidade Johannes Gutenberg em Mainz ((ou Mogúncia), na Alemanha. Apesar de a maioria dos participantes ter afirmado à partida que preferia a leitura em papel, o estudo acabou por chegar à conclusão de que não há diferenças, tanto em termos de velocidade como de efetividade da leitura, entre os suportes físicos e os digitais. Mais informações aqui.