Quem já viajou de avião está familiarizado com os avisos para desligar os aparelhos eletrónicos durante a aterragem e descolagem, sob a alegação de que tal prática pode ocasionar interferências na aeronave. Para além dos mais comuns telemóveis, esta proibição é igualmente alargada aos tablets e e-readers Contudo, um teste encomendado pelo Bits, blogue de tecnologia do jornal norte-americano The New York Times, contraria essa alegação.

Os testes foram realizados pelo EMT Labs e mediram a emissão elétrica dos aparelhos quando ligados. O Kindle, e-reader da Amazon, emite menos de 30 microvolts por metro enquanto está a ser usado, valor bem abaixo dos 100 volts por metro de interferência que um avião deve suportar para ser aprovado pela Federal Aviation Administration norte-americana. Mesmo que todos os passageiros estivessem a usar um Kindle, tal facto não causaria interferência, pois, de acordo com Jay Gandhi, chefe executivo do EMT Labs, «a energia eletromagnética não funciona assim. Cinco Kindles não vão emitir cinco vezes mais energia do que um».

 

About these ads