O autor norte-americano Jonathan Franzen (autor, entre outros, de Liberdade e Correcções) foi hoje notícia pela sua crítica mordaz aos ebooks, em declarações no festival Hay em Cartagena, Colômbia. Em sua opinião, os ebooks estão a prejudicar a sociedade e a corroer os valores da civilização.
Esta argumentação faz lembrar alguns clérigos renascentistas, saudosos do Scriptorium, que viam na máquina de caracteres móveis de Gutenberg a encarnação do Anticristo.
As reações às palavras do escritor chegaram das mais variadas latitudes, mas o mais curioso é que Frazen, nascido em 1959, poderá ainda viver tempo suficiente para ver esgotar-se o púbico do seu suporte de eleição, e se as suas palavras, proferidas hoje na Colômbia, chegaram a todo mundo não foi decerto graças aos méritos do papel…

Imagem: Wikimedia