medium_2979124681De acordo com um estudo recente divulgado ontem pelo Centre National de la Recherche Scientifique francês, as populares SMS não têm influência no nível de ortografia dos jovens.

Durante muito tempo, temeu-se que o tipo de ortografia utilizada pelos adolescentes nas curtas mensagens curtas que trocam entre si nos telemóveis, com inúmeras abreviaturas e poucas preocupações com a correção ortográfica e sintática, acabasse por prejudicar a sua forma de escrita em ambientes mais formais, nomeadamente na escola.

Este estudo agora divulgado, realizado por investigadores do Centre de Recherche sur la Cognition et l’Apprentissage (CNRS/Université de Poitiers/Université François-Rabelais Tours) e que analisou 4524 SMS produzidos durante um ano por 19 jovens adolescentes franceses, de 12 anos, veio demonstrar que é o nível ortográfico de cada criança que determina a forma das mensagens que envia, e não o contrário.

Ao fim de um ano, os investigadores concluíram que não existe «qualquer ligação entre o nível de ortografia tradicional e as SMS enviadas», exceto o facto de que aqueles que adaptam mais a sua escrita ao tipo de linguagem usada nos dispositivos móveis são os que têm um nível mais elevado de ortografia tradicional. Assim, conclui o estudo, as SMS não são uma ameaça para o nível de ortografia da escola, mas sim uma boa e suplementar oportunidade de treinar a escrita.

 photo credit: lanier67 via photopin cc