O lento crescimento dos ebooks na Europa

4 comentários


Image1

Especialistas da PricewaterhouseCoopers preveem que, em 2018, os ebooks ultrapassem os livros impressos. Contudo, esta previsão aplica-se apenas ao mercado americano e inglês. Na Europa continental, o crescimento previsto é bem mais modesto, com apenas os mercados espanhol e francês a pouco ultrapassarem os 20%. De acordo com o The New York Times, citando Rüdiger Wischenbart, o principal entrave à expansão do mercado de ebooks na Europa continental é a política de preços: por exemplo, o preço médio dos ebooks bestsellers na Alemanha e na França é superior a 20 dólares, mais do dobro dos 9 dólares na Grã-Bretanha.

As licenças Creative Commons em 2014

Deixe um comentário


Image1Um infográfico da Creative Commons que ilustra o estado atual das conhecidas licenças CC. Em 2014, são já 882 milhões de trabalhos licenciados através do sistema Creative Commons, a maioria deles com licenças de cultura aberta.

A Sony está a desenvolver um novo DRM para ebooks

Deixe um comentário


A Sony está a desenvolver um novo DRM para ebooks, que pretende ultrapassar alguns dos estrangulamentos associados ao sistema da Adobe. Uma das novidades será a possibilidade de revender o ebook.

 

EBOOKS – outra forma de estudar no ensino superior [workshop]

Deixe um comentário


image003No dia 27 de novembro, das 14h30 às 18h00, vai realizar-se, nas instalações da biblioteca José Saramago (campus 2 do IPLeiria), o workshop “EBOOKS – outra forma de estudar no ensino superior”
A organização é das Bibliotecas dos Serviços de Documentação do IPLeiria, sendo a inscrição gratuita com entrega de certificado.

Conferência «Crianças e Meios Digitais Móveis»

Deixe um comentário


cartazDias 28 e 29 de novembro 2014 realiza-se, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, a conferência «Crianças e Meios Digitais Móveis», onde será feita a apresentação e debate de resultados do projeto Net Children Go Mobile Portugal.

Painéis:

  • Meios móveis de acesso à internet: o contexto português
  • Usos da internet e competências reportadas: a mobilidade faz diferença?
  • Socializando em redes digitais. O lugar dos pares
  • Meios móveis, novos riscos? A importância da mobilidade nos usos do digital
  • Famílias portuguesas e mediação parental dos pequenos ecrãs
  • A mediação da escola no acesso a redes e usos de telemóveis e smartphone

Ficha de inscrição

Programa final

Copyright, Internet e porque é que isso tem interesse para nós [infográfico]

Deixe um comentário


copyright-the-internet-why-it-matters
Via The Digital Reader

Ebooks nas bibliotecas públicas

Deixe um comentário


141030_LJEbookSurveyO relatório Ebook Usage in U.S. Public Libraries (pdf, 129 pp.), do Library Jounal, traz algumas conclusões interessantes acerca da utilização de ebooks nas bibliotecas públicas dos Estados Unidos da América:

1) 95% das bibliotecas públicas oferecem empréstimo de ebooks (aumentou de 72% em 2010, e de 89% em 2012 e 2013).

2) As bibliotecas dispõem de vasto catálogo com mais de 10 000 ebooks (a dimensão do catálogo é referida como um dos fctores-chave para implementar um sistema de empréstimo de ebooks).

3) Existem mais leitores em tablets do que em dispositivos de tinta electrónica (pela primeira vez, a leitura em smartphones e tablets supera os e-readers).

4) Prevalece a ficção sobre a não ficção (74% dos ebooks lidos são de ficção  e apenas  26% de não ficção).

5) Mais do que ebooks (cada vez mais, bibliotecas incorporam na sua oferta apps educativas e ebooks de autoedição).

Via Comunicación Cultural

Os alunos e as tecnologias da informação [estudo]

Deixe um comentário


educause

O ECAR (EDUCAUSE Center for Analysis and Research) publicou no final da semana passada o seu estudo “Study of Undergraduate Students and Information Technology, 2014″ (PDF, 50 pp), no qual colaboraram 213 instituições e 75 306 alunos.

Estas foram algumas das principais conclusões do estudo da EDUCAUSE:

  • A tecnologia está incorporada na vida dos alunos, e os alunos estão geralmente inclinados a usar e ter atitudes favoráveis ​​em relação a tecnologia. No entanto, a tecnologia só tem uma influência moderada no envolvimento ativo dos alunos em cursos específicos ou no estabelecimento de ligações com outros alunos e professores.
  • A utilização educativa da tecnologia por parte dos alunos é generalizada, mas não profunda. Eles estão particularmente interessados ​​em expandir o uso de algumas tecnologias específicas.
  • Muitos alunos usam dispositivos móveis para fins educativos. A sua utilização na sala de aula é mais provável quando os professores incentivam essa utilização; no entanto, tanto professores como alunos estão preocupados com o seu potencial de distração.
  • São cada vez mais os alunos que já experimentaram um ambiente de aprendizagem digital. A maioria diz que aprende melhor com uma combinação de trabalho online e presencial (blended learning).
  • A maioria dos alunos concorda com o uso institucional dos seus dados para aconselhamento sobre o progresso académico em cursos e programas. Muitas das funções analíticas que os alunos procuram já existem nos modernos LMS.

O estudos de 20132012 estão igualmente disponíveis.

Infográfico com os principais resultados do estudo: