Na Alemanha, ebooks eróticos só podem ser adquiridos depois das 22h

Deixe o seu comentário


9171753057_4a103ab9a6_nA Associação Alemã de Editores e Livreiros determinou que os ebooks para público adulto apenas podem ser vendidos a partir das 10 da noite. A nova lei obriga os editores a identificar, através de metadados, todos os livros com conteúdos não adequados aos jovens e que permita que as lojas apenas os disponibilizem entre as 10 da noite e as 6 da manhã.

Quem não cumprir arrisca multas, que podem chegar aos 500 mil euros. Esta nova lei é na prática uma extensão de uma lei de 2002, chamada Jugendmedienschutz-Staatsvertrag, e que visa impedir que crinças adquiram revistas, romances gráficos e livros considerados para adultos.

Alguns editores já puseram em causa a eficácia desta nova norma, considerando que fazia mais sentido um sistema que obrigasse os compradores a provarem a idade.

Via GoodEreader
photo credit: DSC00876 via photopin (license)

45 apps para quem gosta de ler

1 Comentário


45 aplicações – iOS e Android -, quase todas gratuitas, para quem gosta de ler.

Comissão Europeia vai investigar venda de ebooks da Amazon

Deixe o seu comentário


5154254605_d875221d5eA Comissão Europeia abriu ontem uma investigação para apurar se os contratos da Amazon com as editoras são nocivos para a concorrência. O que está sobretudo em causa são algumas cláusulas dos contratos que obrigam os editores informarem a Amazon sobre ofertas mais vantajosas que recebam de concorrentes e/ou oferecerem à empresa norte-americana condições semelhantes.
“É meu dever assegurar que os acordos da Amazon com os editores não prejudicam os consumidores, ao impedir que outros distribuidores de ebooks possam inovar e competir eficazmente com a Amazon”, afirmou Margrethe Vestager, comissária europeia com a pasta da concorrência, em comunicado ontem divulgado.
A Amazon já é alvo da Comissão noutra questão de concorrência, por recorrer ao “tax rulling”, um mecanismo que permite a empresas multinacionais reduzir o que devem pagar em impostos por meio de acordos com a administração fiscal de um país.
A última vez que a Comissão lançou uma investigação sobre o setor de ebooks foi em dezembro de 2011, com suspeitas de que a Apple e cinco editoras internacionais se teriam aliado para limitar a concorrência de preços. Em julho de 2013, as companhias visadas anunciaram vários compromissos para responder às preocupações das autoridades europeias.

photo credit: Kindle vs.iPad via photopin (license)

Curso Livre sobre Leitura Digital na Biblioteca Municipal de Algés

Deixe o seu comentário


Curso de Verão Leitura Digital

Entre 29 de junho e 4 de julho decorre na Biblioteca Municipal de Algés um curso livre sobre leitura digital que pretende explorar algumas ferramentas digitais, promover a utilização segura dos recursos digitais e refletir sobre as condições favoráveis ao desenvolvimento e consolidação de hábitos de leitura no público infantil e juvenil.
O curso apresenta diversos módulos, independentes e complementares, ministrados por especialistas como Ana Pinto Martinho, Isabel Mendinhos, Filomena Lima, Teresa Pombo, Nuno Ratão, Jorge Borges e eu mesmo, que ministrarei um módulo sobre Criação de Livros Digitais e outro sobre Aplicações de Leitura para Tablets.

Informações e inscrições: 210977480 | marta.silva@cm-oeiras.pt

Venda de ebooks nos EUA com uma quebra de 6% em 2014

Deixe o seu comentário


medium_6816581220Em 2014 foram vendidos nos EUA, o principal mercado mundial, 223 milhões de ebooks, menos 17 milhões do que no ano anterior.

Estes dados foram apresentados pela Nielsen na BookExpo America e resultam da PubTrack Digital, que recolhe estatísticas das vendas de ebooks das 30 maiores editoras norte-americanas.

O mercado de ebooks representou no ano passado 26% do mercado de edição, uma diminuição de dois pontos percentuais relativamente a 2013.

A ficção juvenil cresceu 10% em 2014, embora represente somente 15% do mercado global nesta categoria. Isto deve-se, de acordo com a Nielsen, ao facto de mais de metade dos adolescentes continuar a preferir formatos impressos (24% preferem decididamente livros em papel e 30% preferem o papel mas estão disponíveis para ler ebooks).

Estes dados confirmam o abrandamento do mercado de ebooks nos EUA nos dois últimos anos, depois de um espetacular crescimento, na ordem dos 3 dígitos, nos primeiros anos da década (300% em 2010, por exemplo).

Curiosamente, apesar do decréscimo no número de unidades vendidas, os lucros da comércio de ebooks cresceram 5% em 2014, de acordo com a  Association of American Publishers ($15,7 mil milhões, comparado com $15 mil milhões em 2013).

Via The Book Seller

PDF dinâmicos com LiquidText

Deixe o seu comentário


liquidLiquidText é uma aplicação para iPad que transforma documentos estáticos – como texto em PDF – numa aplicação dinâmica que permite adicionar comentários e anotações, extrair excertos, comparar diferentes partes do texto e trabalhar no documento colaborativamente.
Permite importar documentos da Dropbox e de outros serviços de armazenamento na nuvem ou de uma página web.
A grande vantagem da aplicação em relação a outras aplicações de anotação de PDF é a facilidade com que se gere o acesso ao documento original e a relação imediata imediata dos excertos com o todo, opção bem interessante do ponto de vista pedagógico.
Com lançamento previsto para antes do verão, é no entanto possível solicitar já acesso a uma versão beta e experimentar a aplicação através do TestFlight num iPad.

Guia gratuito para criar ebooks com iBooks Author

1 Comentário


1_Screen_iBA_StarterKit_Pg15.480x480-75
A Apple Education disponibilizou recentemente um guia que ajuda a criar ebooks interativos com o iBooks Author, a ferramenta de criação de ebooks da Apple. O ebook está disponível gratuitamente na loja da Apple e pode ser descarregado e lido com o iBooks num Mac ou iPad ou com o Itunes em qualquer computador.

Older Entries

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 2.319 outros seguidores