Ebooks melhorados não melhoram a aprendizagem?

Deixe um comentário


De acordo com um  estudo do Joan Ganz Cooney Center, os ebooks melhorados (“Enhanced ebooks”, isto é, ebooks com multimédia e/ou interatividade) não têm um impacto positivo na aprendizagem. O estudo analisou o que crianças retiveram de uma história lida por eles ou pelos pais usando um livro de papel, um ebook e um ebook melhorado e chegou à conclusão de que com os livros impressos e os eBooks sem inteatividade as crianças reteem muito mais da história do que usando  ebooks melhorados.

Em rigor, podemos dizer que não era necessário um estudo para chegar a esta constatação óbvia: se apenas se pretender que as crianças reproduzam a história que ouviram ou leram, o melhor será suprimir todos os fatores que distraiam da memorização. Por outro lado, com uma amostra tão pequena (o estudo incluiu apenas 32 pares de pais+crianças da York Hall of Science’s Preschool Place), dificilmente se poderá generalizar.

Contudo, as conclusões do estudo obrigam-nos a refletir sobre o verdadeiro objetivo de adicionar elementos multimédia e interatividade aos ebooks, sobretudo se os mesmos deverão estar ao serviço da história ou se a história é apenas o suporte para o preciosismo técnico ou campanha de marketing.

O estudo (pdf) pode ser descarregado aqui.

 

Romances gráficos animados

Deixe um comentário


A inclusão de imagens em movimento em ebooks não é propriamente novidade (temos os exemplos do Vook, do Byook e de inúmeros enhanced ebooks), contudo, esta proposta de Ryan Woodward parece ser um conceito algo diferente.

Anunciada como o primeiro graphic novel animado, Bottom of the Ninth estará disponível para iPad a partir do próximo mês de maio, aparentemente sob a forma de uma app por capítulo. O vídeo recentemente disponibilizado deixa antever as principais novidades deste novo conceito de enhanced ebook:

Via The Digital Reader

O fim dos vooks

Deixe um comentário


A Vook, editora pioneira na criação de ebooks enriquecidos (enhanced ebooks) com adição de áudio e vídeo ao conteúdo textual (conhecidos como vooks), acaba de anunciar o fim da produção de vooks, mantendo apenas a sua plataforma de publicação de conteúdo digital, a VookMaker.

Esta decisão da Vook deixa no ar algumas interrogações acerca da dimensão do mercado dos enhanced ebooks e se o público leitor estará realmente interessado em produtos híbridos que transformam de forma radical a experiência de leitura. Lembramos que, exceptuando talvez o caso de Our Choice de Al Gore, não são conhecidos muitos exemplos de sucesso de vendas de enhanced ebooks, produtos que habitualmente exigem custos de produção muito elevados.

Via TeleRead

Empresa nova-iorquina lança ebooks com banda sonora

Deixe um comentário


aqui tínhamos falado da inserção de efeitos de áudio em ebooks, mas agora a startup nova-iorquina Booktrack leva a experiência mais longe, oferecendo não apenas efeitos sonoros, mas verdadeiros trechos musicais e som ambiente.

A tecnologia desenvolvida pela Booktrack – empresa dirigida por Peter Thiel, um dos diretores do Facebook e criador do PayPal – permite ajustar a banda sonora ao ritmo do leitor, calculando a velocidade com que este “vira” as páginas.

O primeiro ebook lançado com esta tecnologia foi The Power of Six ($12.99), seguido de alguns títulos gratuitos. Em setembro e outubro, a Booktrack vai lançar versões dos contos “In the South”, de Salman Rushdie, e “Solace”, de Jay McInerney.

Por enquanto, os produtos da Booktrack estão disponíveis apenas para iPad e iPhone, mas prevê-se para breve uma versão para o tablet Galaxy da Samsung.

Ebook enriquecido – 11 ideias, 11 conselhos

Deixe um comentário


Goste-se ou não se goste, os ebooks enriquecidos (enhanced ebooks) estão aí e são uma aposta forte forte de muitos autores e editores. O site Walrus eBooks apresenta  mais de uma dezena de ideias e conselhos para quem pretende lançar-se nesta aventura, numa versão bilingue (inglês e francês). Gosto especialmente do primeiro conselho  (First, we have to think of enhancement not as a patch, but as a useful complement – Em primeiro ligar, devemos pensar no enriquecimento não como um remendo, mas como um complemento útil), que, a ser seguido, permitiria evitar muitas das experiências falhadas em termos e ebooks enriquecidos.