Capacidade de memorização do texto é igual no tablet e em papel

Deixe um comentário


medium_8433257547O conteúdo e a publicidade nas edições para tablet dos jornais são processados pelos leitores de forma semelhante à experiência de leitura em papel. Esta foi uma das conclusões de um estudo de neurociências independente encomendado pela News UK Commercial e pelas consultoras Neuro Insight e Decode Implicit Marketing, que descobriu que o conteúdo e a publicidade impressos e em tablet têm os mesmos níveis de engajamento e de memorização.
O estudo centrou-se na análise de ambas as edições (impressa e digital) do jornal britânico The Times (circulação de quase 396 mil cópias na versão impressa e 143 mil assinantes na sua edição para tablet) e concluiu que, embora o acesso do público à informação ocorra de uma forma ligeiramente diferente em cada um dos formatos (o tablet proporciona uma atenção visual mais imediata, por exemplo), a forma como o cérebro processa a informação é a mesma: o leitor experimenta o mesmo grau de codificação da memória (capacidade de armazenar e recuperar informações) em ambos os meios.

 photo credit: dianecordell via photopin cc
Anúncios

Livros em papel e ebooks: as diferenças na compreensão leitora

Deixe um comentário


kobo-aura-hdAinda não são muitos os estudos que comparam a compreensão leitora de acordo com o suporte usado na leitura. O jornal brasileiro Folha de S.Paulo faz notícia com alguns desses estudos, cujos resultados podemos considerar um empate técnico.
Um estudo realizado na Noruega, envolvenddo 50 alunos, demonstrou que quem lê em e-readers possui mais dificuldade em relembrar a cronologia dos factos do que quem lê livros em papel.

Um outro estudo, realizado pelo departamento de educação científica do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica (EUA), que envolveu mais de cem adolescentes com dislexia (dificuldade de leitura e escrita), mostrou, em contrapartida, que a possibilidade de personalização dos e-books pode ajudar pessoas com dificuldade de atenção, melhorando tanto a compreensão leitora como a velocidade de leitura.

Leitura, literatura infantil e ilustração em debate na Universidade do Minho

Deixe um comentário


li2014É ja na próxima semana, nos dias 4 e 5 de julho, que decorre o 10.º Encontro Nacional (8.º Internacional) de Investigação em Leitura, Literatura Infantil e Ilustração, organizado pelo Instituto de Educação da Universidade do Minho.
Um dos temas em destaque no programa deste ano é a leitura digital, com dois painéis, um no dia 4 e outro no dia 5, um dos quais contará com a minha presença.
Mais informações sobre o Encontro disponíveis aqui.

Leitura de ebooks em tablets: Kindle Fire domina

Deixe um comentário


BN-CD704_201403_G_20140331093051

Desde o seu aparecimento, que os tablets são muito usados em atividades de leitura, seja a leitura de email, de notícias, de redes sociais ou de ebooks. Relativamente a esta última categoria, o Kindle Fire destaca-se da concorrência. De acordo com um estudo da Statista para o para The Wall Street Journal, o tablet da Amazon é usado por mais de dois terços dos utilizadores para leitura de ebooks, muito à frente dos seus concorrentes diretos iPad e Galaxy.

A explicação para este facto deverá residir no facto de o Kindle Fire ser comercializado por aquela que á a maior livraria online do mundo.

Quase um terço dos ingleses já lê ebooks

Deixe um comentário


inqUm inquérito sobre hábitos de leitura realizado em Inglaterra pelo DJS Research for Booktrust [PDF] revela que 29% dos britânicos já adoptou os ebooks e 11% leem-nos mesmo diariamente.

O inquérito revela outros dados interessantes, como a persistência da clivagem económico/social em termos de hábitos de leitura e a importância da família na criação desse hábito. Demonstra também que um crescente número de inquiridos (45%) afirma preferir ver televisão e filmes do que ler.

Via The Guardian

 

Conferência: Cultura do Livro e Cultura dos Ecrãs

Deixe um comentário


ifDecorre hoje ao final da tarde, no Institut Français du Portugal, a conferência «Cultura do Livro e Cultura dos Ecrãs: a indispensável complementaridade», com a participação do psiquiatra e psicanalista Serge Tisseron, investigador agregado na Universidade Paris VII Denis Diderot.

«Hoje, as crianças passam mais de três horas e meia por dia à frente dos ecrãs. Dito de outra forma, passam mais de 1200 horas por ano a ver televisão, a “surfar” na internet, a jogar com a consola ou a enviar mensagens. E apenas 900 horas nos bancos da escola. Esta transição brutal da cultura do livro a uma  cultura dos ecrãs induz mudanças tanto na relação com a identidade, o tempo,  os outros, o espaço e  a aprendizagem. Este fenómeno preocupa os pais, que por vezes nem eles entendem estas novas tecnologias da informação e da comunicação.

Haverá então um risco de dependência?  Estas tecnologias poderão ser um travão ao desenvolvimento intelectual e emocional?Tornou-se necessário repensar o homem, a cultura, o ensino e a educação através desta nova realidade que são os ecrãs.»

Hoje, às 19 horas, no Institut Français du Portugal (Av. Luís Bivar, 19, Lisboa), com tradução simultânea e entrada livre.

Que tipo de leitor é você? [infográfico]

Deixe um comentário


Which Book Reader Species Are You?

Explore more infographics like this one on the web’s largest information design community – Visually.

 

Older Entries