Comissão Europeia vai investigar venda de ebooks da Amazon

Deixe um comentário


5154254605_d875221d5eA Comissão Europeia abriu ontem uma investigação para apurar se os contratos da Amazon com as editoras são nocivos para a concorrência. O que está sobretudo em causa são algumas cláusulas dos contratos que obrigam os editores informarem a Amazon sobre ofertas mais vantajosas que recebam de concorrentes e/ou oferecerem à empresa norte-americana condições semelhantes.
“É meu dever assegurar que os acordos da Amazon com os editores não prejudicam os consumidores, ao impedir que outros distribuidores de ebooks possam inovar e competir eficazmente com a Amazon”, afirmou Margrethe Vestager, comissária europeia com a pasta da concorrência, em comunicado ontem divulgado.
A Amazon já é alvo da Comissão noutra questão de concorrência, por recorrer ao “tax rulling”, um mecanismo que permite a empresas multinacionais reduzir o que devem pagar em impostos por meio de acordos com a administração fiscal de um país.
A última vez que a Comissão lançou uma investigação sobre o setor de ebooks foi em dezembro de 2011, com suspeitas de que a Apple e cinco editoras internacionais se teriam aliado para limitar a concorrência de preços. Em julho de 2013, as companhias visadas anunciaram vários compromissos para responder às preocupações das autoridades europeias.

photo credit: Kindle vs.iPad via photopin (license)

Ebooks autopublicados dominam listas de bestsellers

Deixe um comentário


selpub

Os autores autopublicados continuam em grande no mercado norte-americano de ebooks. Depois das Big Five (as cinco maiores editoras), a autopublicação é quem mais ebooks vende, confirmando uma tendência dos últimos anos.

Em 2013, os ebooks autopublicados representaram, em média, 27% do top 100 semanal da Amazon.

Via GoodEreader

Ebooks já representam quase 23% do mercado editorial norte-americano

Deixe um comentário


mercadoDe acordo com a Association of American Publishers (AAP), a venda de ebooks nos EUA, em 2012, gerou uma receita receita de 1,54 mil milhões de dólares. O valor equivale a 22,55% dos $ 7,1 mil milhões de dólares de vendas do mercado editorial.

O mercado de ebooks norte-americano cresceu de 0,05% em 2002 para 0,50% em 2006, atingindo 1,18% em 2008.  A partir do ano seguinte o crescimento foi assinalável:  3,17% em 2009,  16,98% em 2011 e  os já citados 22.55% em 2012.

O género mais vendido, no formato ebook, foi o de livros para adultos (ficção e não ficção, com um crescimento de 5,6% em relação ao ano anterior), mas o que registou maior crescimento foi o de ebooks para crianças e jovens, com mais 13,1% do que em 2012.

Loja de ebooks da Google abre hoje em Espanha

2 comentários



Um dia depois do seu lançamento na Alemanha, a Google Play Books, a loja de ebooks da Google, abre hoje em Espanha, entrando num mercado onde já competem a Amazon, a Apple e a Casa del Libro.

A Google Play Books tem um catálogo de 100 000 títulos, entre os quais muitos clássicos gratuitos e autores de renome como Gabriel García Márquez, Paul Auster, Philip Roth, Stephen King e Carlos Ruiz Zafón.

O acesso à loja  é feito a partir da página web (disponível apenas em Espanha), ou mediante a aplicação para dispositivos Android, que permite descarregar os ebooks no dispositivo e lê-los offline. Está também disponível um sistema de leitura na nuvem.

Uma das novidades da Google Play Books face  à concorrência é a possibilidade de visualizar grande parte do livro antes da compra, e não apenas o primeiro capítulo, como habitual.

Com a abertura da loja espanhola, os ebooks da Google passam a estar disponíveis em 7 países: Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Austrália, Alemanha, Itália e Espanha.

Via Android Ayuda

Venda de tablets e e-readers continua em alta

Deixe um comentário


A venda de tablets cresceu 89% no segundo trimestre de 2011 e mais de 300% relativamente ao ano anterior, atingindo as 13 milhões de dispositivos vendidos, de acordo com os dados revelados na semana passada pela IDC (International Data Corporation, Worldwide Quarterly Media Tablet and eReader Tracker).

Baseada neste bom desempenho, a IDC prevê que o total da venda de tablets atinja os 62,5 milhões de unidades no final do ano. Neste mercado global, continua a verificar-se o domínio avassalador do iPad, com 68% de quota de mercado no 2.º trimestre (9,3 milhões de unidades).

Quanto aos e-readers, no segundo trimestre deste ano verificou-se uma quebra de 9% relativamente ao primeiro trimestre, mas, em termos anuais, registou-se um crescimento de 167%. O mercado de e-readrs continua a ser dominado pelo Kindle da Amazon ( 51.7%), seguido pela Barnes & Noble com 21.2%.

Amazon de Espanha abre sem ebooks

2 comentários


A Amazon chega a Espanha no próximo dia 15 de setembro, mas, por enquanto, apenas venderá produtos físicos, sobretudo livros, música, vídeos e material eletrónico. Os ebooks, e também o Kindle, ficarão para mais tarde (talvez ainda antes do Natal), dada a complexidade das negociações para a comercialização de livros eletrónicos. Quanto aos preços dos livros, não deverão ser muito diferentes dos praticados nas lojas tradicionais, dada a política de preço fixo que também vigora em Espanha. A Amazon de Espanha, que passará a estar disponível no endereço http://www.amazon.es, é mais um passo na política de expansão europeia da cadeia norte-americana e se segue-se às loja do Reino Unido e da Alemanha.

Tablet da Amazon custará metade do iPad

Deixe um comentário


O site TechCrunch noticiou ontem que o esperado tablet da Amazon terá um preço à volta dos 250 dólares, o que representa cerca de metade da versão mais barata do iPad. De acordo com MG Siegler, que já teve oportunidade de experimentar o tablet, o dispositivo vem equipado com SO Android num ecrã de 7 polegadas (pensou-se inicialmente que a Amazon iria lançar também uma versão de 10 polegadas, mas esta apenas deverá sair no próximo ano, dependendo do sucesso da versão mais pequena), oferece acesso direto e permanente à loja da Amazon e a uma Appstore própria e vem equipado com leitor de vídeo e de música exclusivos.  O lançamento está previsto para outubro.

Outros rumores apontam também para a oferta de um acesso 3G gratuito e a possibilidade de alternar entre ecrã LCD e eInk, duas características que, conjugadas com o preço, tornarão o tablet da Amazon uma proposta muito atrativa.

OverDrive lança produto específico para bibliotecas escolares

1 Comentário


A OverDrive, empresa líder no fornecimento de soluções de empréstimo de ebooks em bibliotecas públicas, acaba de lançar um programa direcionado para bibliotecas escolares. Designado OverDrive’s School Download Library, o produto disponibiliza soluções adaptadas às necessidades de cada biblioteca escolar, a partir de um catálogo de 100 000 ebooks e 30 ooo audiobooks, que inclui obras de ficção e auxiliares de estudo. O serviço da OverDrive permite ainda aos professores fazer o upload de planos de aula, guias de estudo, podcasts, vídeos, etc, que depois ficam disponíveis para os alunos na biblioteca escolar on-line. Os ebooks podem ser requisitados e lidos em computadores, telemóveis e ipods.

Embora a OverDrive seja já a solução adoptada por cerca de 13 000 bibliotecas públicas, o número de bibliotecas escolares era muito reduzido (escassas centenas em 15 países do mundo); com este novo produto, a OverDrive pretende alargar a sua presença também junto d0 público escolar.

As escolas de Greenville County, Arrowhead Union HS, Wash. -Saratoga BOCES (EUA) e Loreto Normanhurst (Austrália) são exemplos de bibliotecas escolares que já adotaram o OverDrive’s School Download Library.

Tablets reduzem vendas de e-readers e netbooks

2 comentários


Um estudo feito pela Resolve Market Research  e divulgado esta semana no site Wired, revelou que as vendas e-readers e netbooks estão a ser negativamente afetadas pela venda de tablets. O estudo analisou  as intenções de compra dos consumidores que já possuem um tablet nos meses de julho de 2010 e deste ano. Em 2010, 49% dos consumidores declararam não pretender comprar um e-reader após adquirir um tablet. Em 2011, essa percentagem subiu para 53% . No caso dos netbooks, se, em 2010, 32% dos consumidores afirmavam não pretender comprar esse equipamento depois de comprarem um tabelt, em 2011  houve um aumento de 10 pontos percentuais nas intenções de não compra.

Como se pode ver pelo gráfico acima, os e-readers e netbooks são os únicos equipamentos cujas vendas poderão estar a ser afetadas pela crescente popularidade do tablet, sendo que tanto os leitores de mp3, como as consolas de jogos e os smartphones subiram nas intenções de compra dos possuidores de tablets.

De acordo com uma das autoras do estudo, Elaine B. Coleman, «os tablets acabarão por substituir os e-readers», sobretudo quando os aqueles integrarem a tecnologia que  assegura a vantagem dos e-readers para a maioria dos textos e o seu preço descer.

Contudo, não podemos esquecer que este estudo se centra apenas nos consumidores que já possuem um tablet e que o mercado de e-readers continua de vento em popa, sobretudo junto de alguns nichos de mercado, como ficou demonstrado noutro estudo recentemente divulgado, da autoria do Pew Research Center’s Internet & American Life Project.

O estudo da Resolve Market Research demonstra ainda  que a leitura continua a ser uma das actividades preferenciais dos utilizadores de tablets, como se pode ver pelo gráfico abaixo:

iPad continua a dominar mercado de tablets

Deixe um comentário


Nos últimos meses têm sido várias as propostas da indústria da electrónica que supostamente vêm abrir brechas no domínio quase absoluto do mercado de tablets por parte do iPad. Contudo, o dispositivo da Apple continua a sua senda de sucesso inabalável, pelo menos a julgar pelos dados recolhidos pela comScore a partir do tráfico de internet em diferentes países, e que resultam neste revelador gráfico:

Via Chart of the Day

Older Entries