Barnes & Noble lança novos tablets de baixo custo

Deixe um comentário


O segmento de tablets de baixo custo parece tornar-se cada vez mais apetecível para as empresas tecnológicas. Depois de a  Amazon anunciar os seus novos Kindle Fire, a Barnes & Noble responde com dois modelos do  tablet Nook, um de 7 e outro 9 polegadas.

O Nook HD é o modelo mais pequeno, com um ecrã de 1440 x 900 pixels,  1GB de RAM, 8GB/16GB de memória interna e leitor de cartões Micro-SD. Vem equipado com o processador Dual-Core OMAP 4470 da Texas Instruments a 1.3Ghz. O modelo de 8GB custa $200 e a versão de 16GB, $230.

O Nook HD+ tem um ecrã um pouco maior (9 polegadas com 1920 x 1080 pixels), processador de 1,6 Ghz e preços  de $270 para a versão de 16GB e $300$ para a versão de 32GB.

O sistema operativo deverá ser uma versão alterada do Android 4.0 ICS com acesso direto à Nook Store ( loja online da Barnes & Noble). Ambos os dispositivos têm uma autonomia de cerca de 10h.

Embora só comecem a ser entregues a partir de 1 de novembro, ambos os modelos podem já ser pré-encomendados no site da Nook.

Microsoft investe 300 milhões na Nook

Deixe um comentário


É a notícia do dia e certamente uma dos acontecimentos do ano. A Microsoft vai investir 300 milhões de dólares numa sociedade com a Barnes & Noble no âmbito da inovação em tecnologias de leitura digital. Esta sociedade, no âmbito do Nook, vai “acelerar a transição para o e-reading, que revolucionará a forma como as pessoas consomem, produzem, partilham e usufruem de conteúdo digital. Um dos primeiros frutos desta parceria será a disponibilização da aplicação Nook no Windows 8.
O investimento concederá à Microsoft 17,6% da futura sociedade, de acordo com o comunicado de imprensa.

Nook tablet: Barnes & Noble entra na guerra dos tablets

Deixe um comentário


Depois de a Amazon ter anunciado o Kindle Fire, a Barnes & Noble apressou-se a apresentar uma proposta no mesmo segmento, a fim de não se atrasar no promissor mercado dos tablets (que apesar de tudo continua absolutamente dominado pelo iPad).

O Nook tablet irá sobretudo rivalizar com o Kindle Fire (tablets de baixo preço) e será vendido a um preço de 249 dólares, mais 50 dólares do que o Kindle Fire. Contudo, além de armazenamento na nuvem semelhante ao tablet da Amazon, o tablet da Barnes & Noble vem equipado com o dobro do armazenamento interno (16GB) e uma RAM (1GB) também duas vezes maior que o Kindle Fire.

eBookFling – uma nova plataforma de empréstimo de ebooks

Deixe um comentário


Vai ser lançada na próxima semana a eBookFling, uma nova plataforma social de partilha de ebooks . À semelhança do Lendink, a eBookFling funciona com um sistema de créditos e com livros Kindle (Amazon) e Nook.

 

Via Ebooknewser

Sítio para empréstimo gratuito de ebooks

1 Comentário


Chama-se muito apropriadamente LendInk (literalmente, emprestar tinta), e é um serviço que permite emprestar ebooks do Kindle, Nook e outros e-readers, funcionando como intermediário entre leitores.

O seu funcionamento é muito simples: depois de um registo prévio (gratuito), temos acesso a uma área onde registamos os livros que queremos emprestar.

A seguir pesquisar os livros que pretendemos «requisitar».  Depois de os encontrarmos, clica-se em «Request this book».

A seguir, o utilizador que forneceu o livro para empréstimo recebe um email a indicar que alguém pretende o seu livro.

Caso concorde, clica no link indicado na mensagem e tem acesso ao email do requisitante para lhe enviar o livro por correio electrónico.

O sistema funciona com um sistema de créditos: quando indicamos um livro para empréstimo, ficamos com três créditos, que nos permitem solicitar o empréstimo de três livros, por duas semanas. Após essas duas semanas, recuperamos os créditos.

Além dos formatos Kindle e Nook, estão também disponíveis ePub e PDF.

Por enquanto, a oferta ainda não é muito variada, pois o sistema é recente, mas dada a sua utilidade e facilidade de utilização, prevê-se um rápido crescimento.

Ler no iPad

3 comentários


Embora não seja um propriamente um e-reader, o tablet da Apple é um poderoso instrumento de leitura, sobretudo graças à qualidade e tamanho do seu ecrã e às inúmeras aplicações (apps) especificamente dedicadas à leitura.

A começar pela da própria Apple, o iBooks, uma app concebida tanto para iPad como para iPhone, que já vai na versão 1.2, e que permite organizar a nossa biblioteca por colecção, separar os arquivos pdf dos ePub e dá acesso directo à loja da Apple para adicionar títulos. Como vimos atrás, a iBooks suporta arquivos pdf e ePub (não protegido), e tem versão em português. A leitura é muito simples, tanto com o aparelho na vertical como na horizontal, permite pesquisa no texto e no dicionário, adicionar marcadores e notas, e aumentar ou diminuir o tamanho do texto.

A app Kindle, da Amazon, permite acesso à loja Kindle da Amazon, com os seus mais de 775 000 livros. Permite também o acesso ao arquivo de livros de domínio público do Projecto Gutenberg e ao Internet Archive.

A app Stanza, da Lexcycle, é outra aplicação muito popular e lê ficheiros ePub, PDF, Comic Book Archive (CBR & CBZ), e DjVu. Fornece a acesso directo a várias lojas de ebooks e a 50 000 clássicos gratuitos, sobretudo em língua inglesa.

Outras aplicações semelhantes são o Ereader, da Fictionwise, o Nook, da Barnes & Noble, e o Kobo, da Kobo inc.

Deixei para o fim um dos meus favoritos, o iFlow Reader,  da  BeamItDown Software, que analisarei num outro post.

Para além destas apps, a App Store disponibiliza ainda aplicações específicas, como Shakespeare, da Readdle, com as obras completas de Shakespeare, a Marvel Comics da Marvel Entertainment, para banda desenhada, e a Classics, da Spreadsong, Inc., com mais de  23 mil livros clássicos gratuitos.

O «livro como app» começa a ganhar cada vez mais adeptos, e muitas vezes mais não é do que a adaptação de um clássico da literatura às possibilidades oferecidas pelo iPad. Os exemplos mais conhecidos são Alice for the iPad, da Atomic Antelope ($8.99),  Dracula: The Official Stoker Family Edition, da PadWorx Digital Media Inc. ($4,99), e, em português, A menina do Narizinho Arrebitado, da Editora Globo.

Quanto a periódicos, e apenas em português de Portugal, destacamos os jornais Público, JN, DN e Jornal de Negócios, e a revista Visão, uma das minhas favoritas e a que voltarei posteriormente.

Finalmente, existem também para apps que facilitam a leitura de conteúdos mediante RSS ou redes sociais. Nestas destaca-se claramente o Flipboard, que torna a leitura de notícias (do Google Reader, por exemplo), de redes sociais (Twitter, Facebook) ou de imagens uma experiência absolutamente inovadora.