Alfaguara espanhola publica ebook por fascículos

Deixe um comentário


oscar-mujeresA editora espanhola Alfaguara  lançou o mais recente de romance de Santiago Rocangliolo, Óscar y las mujeres, em formato ebook  e distribuído em fascículos bissemanais às quartas e sextas-feiras. Cada fascículo, constituído por um capítulo do livro, custará 99 cêntimos, e foi hoje lançado o segundo de um total de 9. Quem quiser esperar, poderá adquir o ebook na sua totalidade no dia 20 de Fevereiro,  por 9,99 €, data em que também será disponibilizada a versão em papel por 19,50 €.

Os romances por fascículos são uma tradição bastante antiga do mundo dos livros (por exemplo, O Mistério da Estrada de Sintra, romance da autoria conjunta de Eça de Queirós e de Ramalho Ortigão, foi publicado originalmente no jornal Diário de Notícias sob a forma de cartas anónimas, entre julho e setembro de 1870), que as novas plataformas de edição e distribuição começam agora a recuperar como estratégia de marketing e de fidelização do leitor.

Via Diário Digital

100 tendências para 2012

Deixe um comentário


A empresa de marketing JWTIntelligence enuncia uma centena de tendências a que devemos estar atentos neste novo ano. Destaque para as tendências números 11 (Book Club 2.0), 15 (Crowdsourced Learning), 23 (Flipped Classrooms), 28 (Gen Z), 29 (Gesture Recognition), 57 (Public Bookshelves), 80 (Tablets Replace Paper), 85 (Toys for Tablets) e 92 (Voice-Based Microblogging).

Ebooks – o fim do romance?

2 comentários


Será que os novos dispositivos de leitura digital estão a originar um novo tipo de narrativa? À medida que cada vez mais pessoas aderem à leitura em e-readers e smartphones, começa a verificar-se uma tendência para os editores apresentarem propostas de ebooks que, embora maiores do que o tradicional conto, ficam aquém do tamanho habitual de um romance. Um exemplo recente é o da Amazon que, na sua  Kindle Store, passou a oferecer os Kindle Singles, com textos entre e 10 000 e 30 000 palavras, o que numa versão impressa corresponderia a cerca de 30 a 90 páginas.

Trata-se-á apenas de uma tentativa de  captar novos públicos, ou de uma tendência que conduzirá ao desaparecimento dos longos romances, em favor de narrativas mais cada vez mais curtas, numa espécie de twitterização da literatura?  Bom, os melhores romances que li no último ano tinham todos para cima de 200 000 palavras…

Ler artigo sobre este tema no The New York Times.